Straits Videos

Loading...

segunda-feira, 23 de março de 2009

aBSOLUTAMENTE aO vIVO


aBSOLUTAMENTE aO vIVO
UHF

Hoje foi um dia espeçial, os UHF lançaram um registo ao vivo. Aqui sentado vou escrevendo e escutando as canções que passaram pelo Coliseu de Lisboa na noite de 23 de Setembro de 1996. Eu estive lá, participei na festa que agora revivo, este disco trouxe ao de cima todas as memórias de uma noite que foi fantástica. Estava com um amigo de Almada, o Mário, um companheiro de cruzada nestas andanças do Rock e um grande fâ dos UHF. A festa começou numa cervejaria na Rua do Coliseu e acabou precisamente no mesmo sitio onde fomos regar a goela e ver o resumo do Sporting que tinha vencido a Naval na Figueira Foz . Para mim tinha sido o meu segundo concerto dos UHF no Coliseu de Lisboa, eu já lá tinha estado quando em Fevereiro de 92 se estreou naquele palco Lisboeta. Este disco traz ao de cima todas as lembranças de uma noite que desde sempre eu sabia que iria ser diferente, simplesmente porque as vozes do culto iriam ficar registadas na história, e eu, gritei, vibrei e suei a cada canção. Gosto mesmo disto e não me canso. Os UHF em quarteto eléctrico foram uma boa surpresa, se bem, que um periodo do concerto tivesse sido acústico.
Aproveito o contexto para editar algumas das fotos que tirei nessa noite.

Hoje saí do trabalho direito ao local que á partida me ofereçia maior probabilidade de encontrar o disco duplo e também o DVD - a FNAC no Algarve Shopping, perguntei a um dos funcionários se o material dos UHF tinha chegado `a loja e foi com espanto que levei uma nega. Rumei direito `a Worten de Portimão e foi preso no trânsito que me lembrei que também na Guia tinha uma Worten para recorrer. Lá consegui um exemplar do cd duplo mas DVD nem vê-lo, ficou encomendado e ainda esta semana tê-lo-ei certamente.
Existem tipos malucos que se empurram para ter um disco dos U2 e eu dou ao "chinelo" para ter um disco ao vivo dos UHF. São gostos.

"NO PALCO"

NEM SEMPRE TENHO SIDO SINCERO PARA VÓS, PARA MIM - DÁ PARA PERCEBER
AS VEZES ESTOU LONGE DE VOS DIZER O QUE SINTO
O QUE GUARDO, O QUE FOGE E ASSIM PORQUE MINTO
MAS, SE UM DIA CAIR EM PALCO E AS LUZES SE APAGAREM
SÓIS VÓS QUE GUARDO NO ETERNO GUARDAR
ERGUAM A CANÇÃO BEM ALTO, SOLTEM A EMOÇAO
A VIDA NÃO É UM BOCADO, A VIDA É TODA A PAIXÃO

Quando (dentro de ti) - 1998
Noites Lisboetas - 1982
Primeira metade dos anos 80, canção histórica e carregada de simbolismo. Recordo-me bem que foi o primeiro grande momento da noite.
"Há um ser empuleirado nas pernas de um juiz tentando escapar às misérias do país... Lisboa ,Lisboa..."
Os putos vieram divertir-se - 2003
Canção electrica alusiva aos tempos primórdios da banda.
Brincar no fogo - 1991
Juro que tentei - 2005
Foge Comigo Maria - 1996
Matas-me com o teu olhar - 2005
Sarajevo - 1993
Sarajevo proporcionou ao António um dos seus melhores momentos enquando cômpositor. Sem piano em palco a canção aparece no disco na sua versão mais agressiva.
A lágrima caíu - 2003
A lágrima dá ínicio aos momentos acústicos.
Uma palavra tua - 1999
Toca-me - 1995
Nove anos - 1987
9 anos em formato acústico, foi a primeira passagem pelo Noite Negras. Canção histórica.
Fim do andamento acústico.


"A MORTE"

É DEPRIMENTE SÓ EU SEI DA MINHA MORTE
NESTE CONTINUAR SILENCIOSO, A QUEDA,
O RUMO IRREFUTÁVEL QUE ME EMPURRA PARA
AS PORTAS ENTRE-ABERTAS
VÓS QUE CUIDAIS DE MIM E DO MEU RUÍDO
SAIBAM QUE O ESPAÇO SERÁ DEVOLVIDO
E DEPOIS DE LIMPO NEM UM RASTO,
UM TRILHO, UMA IDEIA, UM SOPRO
A DUREZA DA MORTE É ASSIM
DESDE QUE NASCEMOS COMO EU NASÇI

Sonhos na estrada de Sintra - 1987
Nova passagem pelo Noites Negras, sempre considerei esta canção o grande momento de inspiração do António, aliás, ele partilha comigo a ideia de que o Noites Negras foi o seu melhor disco de originais. Os Sonhos apareceram naquela noite para ficarem durante 10 longos minutos. Nunca imaginei esta canção sem os teclados, mas, a criatividade quando existe torna tudo possível. Aqui gostei do baixo do Nando e da imaginação do António a interagir com o público.
Uma noite estava eu na plateia, o António em cima do palco e tive o previlégio de poder ouvi-lo me dedicar a canção.
"QUE ESTA NOITE SEJA NOSSA...FAÇAM O COLISEU TREMER COM AS VOSSAS PALMAS..."
Rapaz Caleidoscópio - 1981
Roçou o original dos tempos primórdios. Sempre foi uma canção que reuniu o consenso entre a familia UHF, os anos tornaram-na numa canção de culto.
Um copo contigo - 1993
Estava na berra quando eu em 93 conheçi os UHF. Nessa altura bebemos alguns copos numa noite que se quis rápida.
Modelo Fotográfico - 1981
Entoada em côro, foi inevitável.
Rua do Carmo - 1981
"Esta é uma das canções que me marca" - disse o António.
Esta é uma das canções à entrada dos anos 80 marcou o Portugal Musical. Continua viva e com saúde.
Menina está ´a janela - 1993
Matas-me com o teu olhar - 2005
O Regresso ao acústico para dar descanso aos mais efusivos. Mais uma vez o côro esteve afinado.
Estou-me nas tintas(primeiros os meus) - 2005
Cavalos de Corrida - 1980
O meu emblema, é a minha canção mãe. Se o meu caminho me levou a seguir o rumo das descobertas das grandes canções, dos grandes discos e das grandes bandas, eu não tenho dúvidas de que os Cavalos são a canção que me abriu as portas a tudo isso. Nesta noite o António dedicou o tema a Renato Gomes que consigo partilhou a composição da mesma.
Na tua Cama - 1987
...na tua cama fui de rapaz até homem... Canção de amor e de desencontros inevitáveis.
É uma música de grande importância no historial dos UHF e que está sempre presente nos concertos.
Fogo (tanto me atrais) - 1989
"...fogo cresçe em lugares incertos e esse fogo queima aqui por dentro..." é uma das letras mais bonitas e umas das canções mais melódicas. Quando o "fogo" surgiu já cheirava a fim e havia que aproveitar o momento.
Hesitar - 1989
Convém salientar que o Sax faz falta a esta versão, mas ainda assim, foi uma boa forma de terminar a noite - "... a doer a valer..." e o côro cantou pela última vez.

Por último gostava de referir que o som do disco é o som do Coliseu, as eficazes tecnologias de estúdio não meteram aqui o dedo.


Boa Noite!
Até Breve, nós somos os UHF.








































Sem comentários:

Enviar um comentário