Straits Videos

Loading...

quinta-feira, 28 de maio de 2009

30 ANOS DE CARREIRA

GRAFFITI SOUL
SIMPLE MINDS
30º ANIVERSÁRIO
Passaram 30 anos desde a fundação dos Simple Minds.
Foi no Verão de 1985 que os Minds se revelaram ao mundo num dos palcos do histórico concerto "Live Aid". "Don´t you forget about me" e "Ghostdancing" (que a banda estreava ao vivo) fizeram as delicias dos presentes no estádio de Filadelfia e dos espectadores pela T.V.
Seis anos depois tive a oportunidade de assistir ao meu primeiro mega concerto precisamente com os Minds em cabeça de cartaz. Aconteceu em Alvalade e foi uma noite para não esqueçer, pois, o cartaz incluia ainda os UHF e Joe Cocker. Nesse dia as vibrações do concerto começaram bastante cedo, a festa teve inicio na Gare de Silves na companhia de amigos que tal como eu adoravam a banda de Jim Kerr. Lembro-me bem da energia do Jim e da intensidade das canções. Com o palco a meio do estádio, ficou desenhado um gigantesco anfi-teatro o cenário mais propicio para um espectáculo daquela natureza. Em palco para além de Jim Kerr estavam Charlie Burchill, o ex-Pretenders Malcom Foster no baixo, "The best drummer of the world" Mel Gaynor e nos teclados a substituir Michael Mcneil estava Mick Taylor.
O Concerto era na época o segundo espectáculo dos Minds em Portugal, a banda havia estado 10 anos antes no nosso país mas o público não compareceu em massa, Jim lembrou essa noite e promoteu que não voltariam a passar 10 anos até um novo regresso. Nas mãos do vocalista existiam pequenas frases escritas em Português e eu lembro-me de uns dias depois ter visto uma foto que saiu numa revista e que dizia: "Olá com estham?". Pelo meio a interacção habitual - LET ME SEE YOUR HANDS !".Foi fantástico, foi o melhor front man que conheçi e digo-o porque depois dessa noite vi mais 3 vezes os Simple Minds ao vivo e porque coleccionei enumeros videos com espectáculos. Estão a passar 18 anos desde o concerto de Alvalade mas eu recordo-me bem de algumas das canções - Real Life, Let it be love, Stand by love, See the lights (todas do disco que promoviam "Real Life"), Don´t you forget about me, Love Song, Santify your self, Alive and Kicking, King is white and in the crowd, Someone Somewhere in Summertime entre outras fechando com Belfast Child.
Para celebrar os 30 anos de carreira os Minds lançaram na passada Segunda-feira (25/05) um novo disco de originais ao qual se seguira mais uma tour mundial que se espera tenha passagem por Portugal `a semelhança de todas as outras desde a "Real Life Tour". Para trás fica a história de uma banda vanguardista que acabou por se transformar num caso demasiado sério no Rock. A década de 80 teve nos Simple Minds uma das suas bandas mais importantes, através de discos e canções que se tornaram intemporais. Jim Kerr tornou-se num animal de palco e para mim o vocalista dos vocalista.
Por último gostava de referir que sempre achei piada `a celebre rivalidade que se criou entre os U2 e os Simple Minds, a determinada altura Bono Vox e Jim Kerr tornaram-se vitimas da criação dos meios de comunicação social, por causa do estilo em palco e também pela forma de cantar.Falo de duas grandes bandas, de dois grandes vocalistas, mas, depois de Joshua Tree os U2 dispararam e os Minds nunca mais os conseguiram alcançar.Reconheço o enorme potencial dos U2 tanto a nível musical como o próprio impacto positivo que tiveram e têm na sociedade, mas, sempre gostei mais dos Minds - O livro das coisas brilhantes. Admiro a forma como percorreram a determinada altura um caminho pelas novas tecnologias sem trairem a verdadeira essência da sua existência enquanto banda - o Rock N´Roll.
Em breve um ammigo meu, Carlos Castanheira (demasiado fanático pelos Minds) irá publicar um texto sobre a banda aqui no blog A MALTA DO BAIRRO.
Bem hajam os Minds !
Serginho

1 comentário:

  1. Grande concerto!!
    Que tarde, que noite, que manhã à espera do comboio para voltar a casa ....

    ResponderEliminar